PUBLICIDADE

BLOG Pr Samuel
21/02/2017
AMÓS 4

1 Ouvi esta palavra vós, vacas de Basã, que estais no monte de Samaria, que oprimis aos pobres, que esmagais os necessitados, que dizeis a vossos senhores: Dai cá, e bebamos.

2 Jurou o Senhor DEUS, pela sua santidade, que dias estão para vir sobre vós, em que vos levarão com ganchos e a vossos descendentes com anzóis de pesca.

3 E saireis pelas brechas, uma após outra, e sereis lançadas para Harmom, disse o Senhor.

4 Vinde a Betel, e transgredi; a Gilgal, e multiplicai as transgressões; e cada manhã trazei os vossos sacrifícios, e os vossos dízimos de três em três dias.

5 E oferecei o sacrifício de louvores do que é levedado, e apregoai as ofertas voluntárias, publicai-as; porque disso gostais, ó filhos de Israel, disse o Senhor DEUS.

6 Por isso também vos dei limpeza de dentes em todas as vossas cidades, e falta de pão em todos os vossos lugares; contudo não vos convertestes a mim, disse o Senhor.

7 Além disso, retive de vós a chuva quando ainda faltavam três meses para a ceifa; e fiz que chovesse sobre uma cidade, e não chovesse sobre a outra cidade; sobre um campo choveu, mas o outro, sobre o qual não choveu, secou-se.

8 E andaram errantes duas ou três cidades, indo a outra cidade para beberem água, mas não se saciaram; contudo não vos convertestes a mim, disse o Senhor.

9 Feri-vos com queimadura, e com ferrugem; a multidão das vossas hortas, e das vossas vinhas, e das vossas figueiras, e das vossas oliveiras, comeu a locusta; contudo não vos convertestes a mim, disse o Senhor.

10 Enviei a peste contra vós, à maneira do Egito; os vossos jovens matei à espada, e os vossos cavalos deixei levar presos, e o mau cheiro dos vossos arraiais fiz subir às vossas narinas; contudo não vos convertestes a mim, disse o Senhor.

11 Subverti a alguns dentre vós, como Deus subverteu a Sodoma e Gomorra, e vós fostes como um tição arrebatado do incêndio; contudo não vos convertestes a mim, disse o Senhor.

12 Portanto, assim te farei, ó Israel! E porque isso te farei, prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus.

13 Porque eis aqui o que forma os montes, e cria o vento, e declara ao homem qual seja o seu pensamento, o que faz da manhã trevas, e pisa os altos da terra; o Senhor, o Deus dos Exércitos, é o seu nome.


Histórico

1. O PROFETA AMÓS

O profeta Amós exerceu o seu ministério em Israel no século VIII a.C., e foi contemporâneo de Jonas e Oséias. Ele revela quatro fatos importantes a respeito de si mesmo em 1.1:

(1) Era boieiro e cultivador de sicômoros em Tecoa, aldeia de Judá, situada a cerca de 20 km ao sul de Jerusalém (ver 7.14).

(2) Ele "via" suas mensagens (i.e., tinha visões proféticas; cf. 7.1,4,7; 8.1,2; 9.1) a respeito de Israel, o Reino do Norte. Embora fosse leigo e não tivesse o status de profeta, nem por isso deixou de ser chamado por Deus para profetizar à rebelde Israel (cf.7.14,15). Seu nome significa "carregado" ou "carregador de fardos".

(3) O ministério de Amós, em Israel, foi desempenhado durante o reinado de Uzias, em Judá, e Jeroboão II, em Samaria. O reinado de ambos coincide com o período que vai de 767 - 753 a.C. O mais provável é que Amós tenha
profetizado entre 760-755 a.C.

(4) Ele profetizou durante os dois anos que antecederam o terremoto. A arqueologia apresenta diversas evidências que provam a ocorrência de um terremoto de grandes proporções, nesse período, em várias localidades de Israel, inclusive Samaria.
Passados duzentos anos, Zacarias faria menção ao mesmo terremoto (Zc 14.5), fornecendo-nos mais um indício da enormidade da catástrofe. A referência ao cataclismo por Amós sugere que o profeta o considerava uma confirmação da sua mensagem e ministério proféticos em Israel (cf.9.1).

     Durante o ministério de Amós, o Reino do Norte achava-se em seu apogeu quanto à expansão territorial, à paz política e à prosperidade nacional. Internamente, porém, estava podre. A idolatria encontrava-se em voga. A sociedade esbanjava-se à procura dos prazeres. A hipocrisia e a imoralidade grassavam. O sistema judiciário corrompia-se cada vez mais, e a opressão aos pobres tornara-se lugar comum. Obedecendo à vocação do Deus de Israel, Amós proclama corajosamente a sua mensagem centrada na justiça, retidão e
retribuição divina. Mas o povo, infelizmente, não queria ouvir o que o Senhor tinha a dizer-lhe.

2. A PESSOA DO PROFETA

Amós nasceu em Tecoa, aldeia a dez quilômetros ao sul de Belém. Era pastor sem treinamento teológico, acerca de quem nada sabemos até o momento de sua chamada. Também trabalhava como cultivador de 1 sicômoros (Am. 7.14). Migrava em certo período do ano para o território mais fértil de Efraim, onde trabalhava com os sicômoros. Portanto era um leigo, humilde e seminômade, e não um membro da classe profética, tendo-se recusado a ser chamado de profeta, embora admitindo Ter sido forçado a entrar no ministério profético, por  omissão divina. Em uma série de visões, provavelmente no fim da primavera ou verão de 751 ou 750 a.C. , ele recebeu sua espantosa mensagem concernente a deportação do povo de Israel. Foi acusado de conspiração contra Jeroboão e foi ameaçado por Amazias, sumo sacerdote de Betel. Após Ter cumprido sua missão, Amós
retornou a Judá. Permanecem desconhecidos o tempo e a maneira de sua morte, bem como quaisquer detalhes subsequentes de sua vida.”

HISTÓRICO EXTRAÍDO DE :

http://www.teologiaclub.com/site/index.php?pagina=texto&id=154

No capítulo 4 - Amós fala de três pecados específicos que entristeciam o Senhor e arruinavam o Reino de Israel.

Os valores do povo eram errados, seu “reavivamento” religioso era uma farsa e haviam se recusado a ouvir as advertências que Deus lhes havia dado.

1 – AMÓS 4:1-3 = LUXO

“A maioria dos luxos e muitos dos chamados confortos que temos na vida não são apenas dispensáveis como também constituem, de fato, empecilhos para a grandeza da humanidade” – Henry David Thoreau

O que é luxo ?

O termo luxo vem de uma palavra em latim que significa “excessivo”. Referia-se, originalmente , a plantas que cresciam em abundância (“vegetação luxuriante”), mas passou a ser usado para falar de pessoas com abundância de dinheiro, de tempo e de conforto usados para satisfação própria e que vivem em constante lazer despropositado. Sempre que se oferece um serviço de luxo, trata-se do mesmo conceito:

Serviço acima e além daquilo que de fato você precisa.

Não é pecado ser rico ou ter uma vida confortável.

Abraão e Davi eram homens ricos, muito ricos e , no entanto, usaram o que tinham para a Glória de Deus.

O conceito de luxo é muito subjetivo. Aquilo que nós cidadãos de “países em desenvolvimento” consideramos luxo nos países desenvolvidos, são por eles considerados como necessidade.

Viver luxuosamente não é somente uma questão de bens, mas sim de quanto permitimos que isso nos controle.

Uma placa numa loja de roupas dizia assim :

“Se você precisa perguntar o preço de nossos é porque não pode pagar por eles”.

Aqueles que levam uma vida de luxo não se importam com o quanto gastam, desde que consigam aquilo que desejam.

No versículo 1 , Amós dirige-se às esposas dos líderes sem qualquer piedade : “VACAS DE BASÔ

Essas mulheres de sociedade passavam o dia todo ociosas, bebendo vinho e dizendo aos maridos o que fazer.

Hoje em dia, qualquer pregador que chamasse as mulheres de sua congregação de “vacas”, precisaria imediatamente procurar outra igreja.

Porque Amós, um camponês, usou esta linguagem?

Não era pelo fato de que as mulheres eram obesas, ou pareciam-se com vacas, mas sim, porque, com seus pecados, estavam engordando para o abate.

O que os criadores de gado fazem quando o gado está gordo?

LEVAM-NO PARA O MATADOURO.

Amós descreveu o que aconteceria quando os assírios invadissem Israel, como iriam capturar essas mulheres e trata-las feito gado. Era costume dos assírios colocar ganchos no nariz ou no lábio inferior dos prisioneiros, amarrá-los com cordas e puxá-los como animais.

Observemos também que os seus descendentes também seriam incluídos nesse julgamento (versículo 2)

Com suas prioridades egoístas e seu exemplo pecaminoso estavam dando aos filhos o que havia de pior. Seus descendentes tinham tudo, menos o conhecimento do Senhor, de modo que também seriam levados como animais para o matadouro.

A geração mais jovem de Israel tinha tudo o que o dinheiro podia comprar, mas lhe faltava aquilo que não podia ser comprado, as coisas do Senhor que tornam a vida digna de ser vivida.

Como vimos, luxo é tudo aquilo que é excessivo, tudo aquilo que é dispensável, tudo aquilo que temos e permitimos que nos controle.

Qual é o seu luxo, qual é o meu luxo, qual é o nosso luxo?

Talvez não sejam bens materiais, estilo de vida, aquilo que possuamos.

O “luxo”, tratado como aquilo que não precisamos, pode ser várias coisas.

-Um pecado que cultivamos

-Uma errada maneira de agir que mantemos

-Palavras que falamos, além do que deveríamos falar

-Pensamentos que alimentamos

-Posições que defendemos

-Orgulho próprio

-Autocomiseração (sentir pena de si próprio)

Etc.

Poderíamos elencar várias coisas que não necessitamos ter, cultivar, alimentar, apreciar e que desviam nosso foco daquilo que DEUS quer que sejamos.

Pode parecer estranho dizer que essas coisas são luxo, quando nosso conceito humano de luxo está relacionado apenas àquilo que o dinheiro pode comprar.

Mas, não.

Não precisamos de luxo.

Estas coisas são totalmente dispensáveis, pois além de tudo nos afastam do foco, do propósito de Deus para nós e muitas vezes as cultivamos por anos , décadas, por uma vida inteiral.

2- AMÓS 4:4-5 = “HIPOCRISIA”

O profeta usou de “ironia santa” quando proferiu essas palavras, pois mais tarde instruiu o povo a fazer exatamente o contrário (Amós 5:5)

É como se hoje em dia um pastor dissesse a sua congregação :

“Tudo bem, vão em frente, frequente os cultos, frequente as células, participem de retiros, seminários, mas estarão pecando ainda mais pois vão apenas aumentar suas transgressões”.

Entenda o que quero lhe dizer e o que não estou querendo lhe dizer.

Participar de tudo isso é extremamente importante e essencial para a vida cristã.

A grande questão é se nosso coração não for sincero no que se refere a conhecer a Deus e fazer Sua vontade, estamos fingindo, apenas caminhando num modismo “gospel” e isso é hipocrisia, ou seja, PECADO.

Quais são nossas verdadeiras intenções no Reino?

O porque estamos aqui?

Betel era um lugar muito especial para o povo por causa de sua relação com Abraão (Gênesis 12:8) e com Jacó (Gênesis 28:10-22)

A Arca da Aliança ficou algum tempo em Betel (Juízes 20:18-28), mas na época de Amós, aquele era o “santuário do rei”, onde Amazias, o sacerdote, servia (Amós 7:10)

Gilgal também era importante para Israel, pois era lá q eu Josué e o povo haviam acampado assim que entraram na terra prometida (Josué 4:19 e 20)

Também em Gilgal, Saul foi coroado rei de Israel (1° Samuel 11:15).

Infelizmente, esses dois lugares haviam se transformado em santuários onde o povo adorava deuses pagãos, enquanto afirmava adorar ao Senhor.

As aparências indicam que Israel passava por um reavivamento espiritual. Multidões se dirigiam aos “lugares sagrados” levando sacrifícios e até entoando cânticos de louvor ao Senhor.

Ofereciam sacrifícios com mais frequência do que era requerido pela lei, com ose quisessem provar como eram espirituais.

Contudo, suas ofertas e cânticos não impressionavam ao Senhor, pois ELE via o que estava dentro do coração do povo, e o pecado do coração deles tornava seus sacrifícios inadmissíveis.

Para começar, seus sacrifícios eram impuros, como oferecer levedo no altar, o que era proibido por Deus (Levítico 2:11 e 6:17).

Deus não quer sacrifícios de touros e de bodes, ELE quer a obediência de nosso coração .

1° Samuel 15:22:

Disse Samuel: Tem, porventura, Jeová tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, quanto tem em que se obedeça à sua voz? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrifício, e o atender do que a gordura de carneiros.

Marcos 12:28-34:

Chegou um dos escribas e, tendo ouvido a discussão e vendo que Jesus lhes havia respondido bem, fez-lhe esta pergunta: Qual é o primeiro de todos os mandamentos? Respondeu Jesus: O primeiro é: Ouve, ó Israel, o Senhor é nosso Deus, o Senhor é um só; e amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força.

O segundo é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes. Disse-lhe o escriba: Na verdade, Mestre, disseste bem que Ele é um; e não há outro senão Ele; e que o amá-lo de todo o coração, de todo o entendimento e de toda a força, e o amar ao próximo como a si mesmo, excede a todos os holocaustos e sacrifícios. Vendo Jesus que ele havia falado sabiamente, disse-lhe: Não estás longe do reino de Deus. Ninguém ousava mais interrogá-lo. Se o nosso coração não está em ordem diante de Deus, então o que fazemos não tem qualquer significado.

Além disso, aquele povo orgulhava-se daquilo que estavam fazendo e certificavam-se de que todos ficassem sabendo como eram “bons “.

O povo de Israel amava os cultos , mas não amavam a Deus, a quem diziam adorar. Não havia confissão de pecados, não havia quebrantamento perante o Senhor, só a participação em eventos religiosos que levava os participantes a sentirem-se bem.

O povo estava pecando, enquanto pensava estar servindo ao Senhor. A prova da experiência espiritual não é :” A igreja estava cheia e o culto foi agradável”

A verdadeira prova é :” Estou aprendendo mais de Deus e me tornando mais semelhante a Cristo”.

O povo do tempo de Amós voltava para casa com o mesmo coração endurecido com que havia saído de casa, pois sua “adoração” não passava de um ritual vazio.

Qualquer “avivamento” que não mude nossas prioridades e nem nos leve a resolver nossos problemas não é , de fato, AVIVAMENTO.

É interessante que Amós mencionou a música, pois assim como hoje, era uma parte importante do culto.

Contanto, aquilo que para os judeus era uma bela música, para Deus não passava de barulho (Amós 5:23).

Muitos andam procurando Deus aqui e acolá. Querem um Deus que se amolde aos “seus conceitos próprios”.

-Procuram Deus nos show´s (gospel é claro).

-Outros, procuram em “telepregadores”.

Tudo aquilo que realizamos como Igreja para o Senhor precisa ser adoração, com um coração sincero Diante Dele, com motivações corretas. O manancial da adoração não pode estar poluído, pois tudo será contaminado.

JOÃO 4:23 = Mas a hora vem e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores.

3- AMÓS 4:6-13 = “OBSTINAÇÃO”

Nesta passagem, Amós diz ao povo cinco vezes :

“Contudo, não vos convertestes a mim”.

O povo de Israel havia sentido as disciplinas de Deus, mas ainda assim não tinha se submetido à vontade Dele e continuava praticando aquela religiosidade hipócrita.

A aliança de Deus com seu povo afirmava explicitamente que ELE iria abençoá-los se obedecessem à sua lei , e que iria discipliná-los se desobedecessem (Deuteronômio 27- 29) .

Deus colocou diante deles a vida e a morte e instou-os a escolher a vida.

Infelizmente, desprezaram seu amor, rejeitaram suas advertências e escolheram a morte.

Deus enviou a fome, a seca, a destruição das colheitas, a enfermidade, a derrota na guerra, a catástrofe, porém a ingratidão e a dureza do coração do povo eram ainda mais perversas.

Do que precisamos nos arrepender?

Do que preciso arrepender-me?

Do que você precisa arrepender-se?

-O que será que Deus precisa enviar como disciplina em nossa vida, para que deixemos de ser “teimosos” em rejeitar sua vontade?

-O que Deus precisa fazer para que ouçamos a sua voz?

O que Deus precisa realizar, ou deixar de realizar, para que nos voltemos à ELE ?

Persistência é uma virtude, porém, obstinação ou teimosia é um defeito, é um pecado.

“Errar é humano, porém, persistir no erro é tolice”. Persistir no erro é pecado. Obstinação é pecado.

No que tenho teimado com Deus?

No que você tem teimado com Deus?

No que temos teimado com Deus?

Conclusão- Amós 4:12 e 13

O povo de Israel havia passado por fome, secas, pragas, guerras e catástrofes devastadoras, enquanto Deus falava com seu povo e conduzi-lo ao arrependimento, porém, não importava a disciplina que o Senhor enviasse, o povo se recusava a voltar para ELE.

O que mais Deus poderia fazer ?

-TRATAR COM ELES PESSOALMENTE!

“Prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu DEUS” (Amós 4:12)

Essas palavras não eram um chamado ao arrependimento, mas um anúncio de que era tarde demais para se arrependerem.

O próprio Senhor dos Exércitos viria com as hordas assírias e levaria o povo como gado sendo conduzido para o matadouro.

Essa era uma palavra de Juízo, não havia mais tempo. No nosso caso, ainda há tempo.

- AINDA DÁ TEMPO

Pensando nesta Palavra, quando leio o versículo 12 que diz : “Prepara-te para te encontrares com teu Deus”, me vem a memória a parábola das 10 virgens:

Mateus 25:1-13

Então o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do noivo. Cinco dentre elas eram néscias, e cinco prudentes. As néscias, tomando as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo; mas as prudentes levaram azeite em suas vasilhas juntamente com as lâmpadas.

Tardando o noivo, toscanejaram todas e adormeceram. Mas à meia-noite ouviu-se um grito: Eis o noivo! saí ao seu encontro.

Então se levantaram todas aquelas virgens e prepararam as suas lâmpadas.

Disseram as néscias às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas estão-se apagando.

Porém as prudentes responderam: Talvez não haja bastante para nós e para vós; ide antes aos que o vendem, e comprai-o para vós.

Enquanto foram comprá-lo, veio o noivo; as que estavam apercebidas, entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta.

Depois vieram as outras virgens e disseram: Senhor, Senhor, abre-nos a porta.

Mas ele respondeu: Em verdade vos digo que não vos conheço.

Portanto vigiai, porque não sabeis nem o dia nem a hora.

O noivo está as portas.
Rua Romeu Lauro Werlang, 300 - Francisco Beltrão - PR     |     CEP 85.601-020     |     Telefone: (46) 3523-4028
Conteúdo de responsabilidade da Comunidade Batista Betel. Proibida a reprodução sem autorização.